A Decrease font size. A Reset font size. A Increase font size.

Controle biológico no Brasil: entenda o cenário atual e veja as perspectivas futuras

Controle biológico nas áreas florestais e agrícolas brasileiras

O controle biológico é uma técnica de manejo de pragas a base de agentes naturais como fungos, bactérias, vírus e predadores. Além de ser extremamente eficaz, o método não provoca danos à lavoura, aos inimigos naturais e nem ao meio ambiente.

Com tantos benefícios, a prática tem se popularizado em diversos países como uma alternativa mais sustentável. De acordo com dois relatórios do instituto de pesquisa Research and Markets, o mercado de biológicos deve ter um faturamento de US$ 18,5 bilhões até 2026, o que representa um aumento de 74%.

Para aprofundar o assunto, a Oligos Biotec trouxe um conteúdo abordando o cenário atual do mercado de controle biológico no Brasil e as perspectivas futuras. Continue com a leitura para saber mais!

Defensivos biológicos

controle biológico

Atualmente, existem 3 espécies de agentes que podem ser utilizados como inimigos naturais no cultivo comercial. São eles, os predadores, parasitóides e entomopatógenos. Veja as características de cada um.

Predadores: são insetos ou aracnídeos que se alimentam de suas presas para completar seu ciclo de vida. Fazem parte desse grupo, joaninhas, percevejos, ácaros, fitoseídeos, vespas, entre outros.

Parasitóides: são espécies cuja fase larval se desenvolve dentro do hospedeiro ou sobre o corpo de outro inseto, alimentando-se deste e causando sua morte. São relações bastante específicas, ou seja, cada espécie de parasitoide ataca sua presa em estágios bem definidos (ovo, larva, ninfa, pupa e adultos).

Entomopatógenos: são microrganismos que atacam e se alimentam de pragas, resultando no controle destas de uma forma eficiente. Fazem parte desse grupo de defensivos biológicos fungos, vírus e bactérias.

Controle biológico no contexto brasileiro

Controle biológico no contexto brasileiro

O Brasil sendo uma potência mundial no segmento agrícola, costuma liderar o ranking de países que mais utilizam defensivos no manejo de pragas e doenças. Dessa maneira, o uso de agentes biológicos representa um grande avanço nas pautas relacionadas à sustentabilidade e meio ambiente.

Hoje, existem programas de controle biológico no Brasil extremamente eficazes em várias culturas. Na cana-de-açúcar, por exemplo, o manejo da broca-da-cana (Diatraea saccharalis), uma das principais pragas da cultura, pode ser feita por meio do parasitoide de larvas (Cotesia flavipes) e o parasitoide de ovos (Trichogramma galloi).

Já na cultura da soja, para combater o ácaro rajado (Tetranychus urticae) e a mosca-branca (Bemisia tabaci), pode-se usar o produto Beauve100 (Beauveria bassiana) com grande eficiência. O mesmo produto também apresenta excelentes resultados no controle da cigarrinha do milho (Dalbulus maidis) e do moleque de bananeira (Cosmopolites sordidus).

De forma geral, o controle biológico no Brasil vem assumindo um importante papel no manejo de pragas e doenças, isoladamente ou em combinação com defensivos químicos convencionais, ganhando em eficiência e reduzindo os impactos no campo.

Controle biológico no Brasil e as perspectivas para os próximos anos

Neste ano, o Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (MAPA) somou 69 registros de defensivos biológicos. Em 2021, foram 51 registros de novos produtos do segmento. Observando esses dados fica evidente a adesão do método pelos produtores brasileiros que se dá devido a diversos fatores:

  • Resistência dos insetos-pragas contra os defensivos tradicionais
  • Efetividade do controle biológico brasileiro
  • Pressão regulatória dos órgãos fiscalizadores que exigem produtos mais sustentáveis
  • Consumidor final exigindo alimentos cada vez mais saudáveis
  • Cobrança do mercado nacional e internacional por técnicas sustentáveis
  • Contínuo avanço da agrotecnologia

Sendo assim, a previsão é que o mercado brasileiro de defensivos biológicos continue expandindo nos próximos anos. De acordo com uma pesquisa feita pela Consultoria Blink Projetos Estratégicos com a CropLife, o setor deve atingir R$ 3,7 bilhões no Brasil em 2030. O valor representa um crescimento de 107% em comparação com a previsão feita em 2021.

Oligos Biotec

O uso de defensivos biológicos necessita de conhecimento técnico e de produtos com eficácia comprovada.

Atuando há mais de 10 anos no segmento, a Oligos Biotec é referência em soluções biológicas para o controle de pragas e no favorecimento de inimigos naturais nas lavouras.

Conheça os nossos produtos com qualidade comprovada ou entre em contato com a nossa equipe para esclarecer dúvidas.

Este artigo foi útil?
Avalie

O que você achou disso?

Clique nas estrelas

Média da classificação 0 / 5. Número de votos: 0

Nenhum voto até agora! Seja o primeiro a avaliar este post.


Posts Relacionados

Dicas

As principais técnicas para o controle de pragas

As pragas agrícolas são as grandes responsáveis pelas perdas da produtividade nas produções. Segundo relatório divulgado pela Organização das Nações Unidas para Agricultura e Alimentação ( [...]

Dicas

Drones agrícolas: função, tipos e vantagens

Com uma ampla possibilidade de uso, os drones agrícolas se tornaram um excelente aliado dos produtores rurais. A ferramenta faz parte das estratégias da agricultura de precisão e pode ser utilizada [...]

Dicas

Melhoramento genético: entenda o que é e como é usado na lavoura

O avanço da tecnologia na agricultura tem impulsionado o alto rendimento e a produtividade nas lavouras. O melhoramento genético é uma das ferramentas responsáveis por esse progresso. Isso porque [...]