A Decrease font size. A Reset font size. A Increase font size.

Calendário agrícola: entenda a importância para o produtor rural

Calendário do campo

O calendário agrícola é uma ferramenta indispensável para minimizar os riscos e melhorar a gestão das atividades no campo. Por meio dele é possível monitorar os períodos mais indicados para o plantio, levando em consideração o clima, o tipo de cultura e a região onde ela está inserida.

Quer saber mais sobre esse instrumento e como elaborar um cronograma de plantio assertivo? Continue com a leitura que vamos explicar para você!

Afinal, o que é um calendário agrícola?

Calendário agrícola

O calendário agrícola é um instrumento de consulta que aponta a época mais indicada para fazer a semeadura, o manejo e a colheita de uma lavoura. Seguindo essas instruções, o agricultor reduz os riscos de perdas, diminui os gastos e, consequentemente, consegue atingir melhores resultados.

Dessa forma, levando em consideração a amplitude do território nacional, a diversidade de cultivos compatíveis com o solo brasileiro e a intensa variedade climática de cada região, o calendário agrícola torna-se essencial e serve como um guia para o agricultor brasileiro.

Como elaborar um calendário agrícola?

Para elaborar um calendário agrícola, o profissional do campo deve ter em mãos as seguintes informações:

  • Colheita das principais culturas produzidas em determinada região
  • Ecologia da espécie cultivada
  • Qualidade do solo
  • Condições climáticas (variação de temperatura, velocidade do vento, umidade do ar)
  • Início e término da estação de chuvas
  • Incidência de pragas agrícolas na região de acordo com cada plantio
  • Produtos que serão utilizados (fertilizantes, tipos de inseticidas, entre outros)
  • Tecnologias que serão utilizadas na plantação
  • Precipitação anual
  • Zoneamento agrícola

Veja no próximo tópico, onde você pode adquirir informações de qualidade para verificar os itens citados acima.

Onde conseguir informações de qualidade para elaborar um calendário agrícola?

A experiência e o conhecimento em campo de cada agricultor, são fatores indispensáveis no momento de elaborar um calendário agrícola, afinal, são eles que conhecem melhor o funcionamento da própria lavoura e a influência do clima de cada região.

No entanto, é possível consultar um cronograma de plantio já pronto regido pela Companhia Nacional de Abastecimento (Conab) no site da instituição. Essas informações disponibilizadas pela Conab são baseadas em dados científicos, climáticos e técnicos de diversas organizações de confiança.

Além disso, algumas instituições oficiais disponibilizam nos sites dados e estatísticas importantes e úteis para elaboração do calendário agrícola. Veja abaixo:

Calendário agrícolas prontos

Informações climáticas e meteorológicas

Sementes e cultivares

Incidência de pragas

pragas agrícolas

Além de favorecer ou prejudicar as plantas, a temperatura e a chuva também influenciam no surgimento de pragas. Portanto, a incidência de inseto-pragas deve ser um dos principais elementos a serem considerados dentro de um calendário agrícola.

De forma geral, temperaturas quentes e chuvas leves após o período de estiagem, costumam favorecer na multiplicação desses insetos, por isso que um cronograma assertivo é tão importante para o agricultor.

Identificando o período com mais ocorrência de pragas, o profissional do campo pode anteceder os gastos e os cuidados necessários para evitar a infestação e reduzir os riscos de perdas.

Conheça a melhor época de plantio para cada região do país

Confira abaixo um resumo das safras indicadas para cada período do ano de acordo com a região.

Sudeste

Algodão –  plantio: outubro/colheita: março a julho

Alho – plantio: março/3 a 4 meses depois

Ameixa – plantio: julho/colheita: outubro a dezembro

Amendoim – plantio: setembro/colheita: dezembro a março

Banana – plantio: o ano inteiro

Batata – plantio: abril/colheita: 3 a 4 meses depois

Café – plantio: outubro/colheita: abril a setembro

Cana-de-açúcar – plantio: outubro/ colheita: abril a setembro

Cebola – plantio: fevereiro/colheita: 4 a 6 meses depois

Feijão – plantio: plantio: outubro/colheita: janeiro a abril

Mandioca – plantio: setembro/colheita: março a julho

Milho – plantio: outubro/colheita: janeiro a junho

Uva – plantio: julho/colheita: outubro a dezembro

Sul

Ameixa – plantio: julho/colheita: setembro a outubro

Amendoim – plantio: setembro/colheita: janeiro a abril

Arroz – plantio: setembro/colheita: novembro a abril

Aveia – plantio: abril/colheita: outubro a dezembro

Café – plantio: setembro/colheita: maio a novembro

Erva-mate – plantio: abril/colheita: março a agosto

Feijão – plantio: agosto/colheita: outubro a março

Fumo – plantio: agosto/colheita: dezembro a fevereiro

Maça – plantio: dezembro/colheita: janeiro a abril

Milho – plantio: agosto/ colheita: dezembro a junho

Soja – plantio: setembro/colheita: janeiro a maio

Trigo – plantio: maio/colheita: setembro a dezembro

Uva – plantio: julho/colheita: outubro a dezembro

Nordeste

Algodão – plantio: janeiro/colheita: julho a dezembro

Amendoim – plantio março/colheita: maio a agosto

Arroz – plantio: outubro/colheita: janeiro a abril

Cacau – plantio: início da chuva/colheita: maio

Coco – plantio: início da chuva/colheita: 6 meses depois

Feijão – plantio: outubro/colheita: janeiro a abril

Fumo –  plantio: agosto/colheita: dezembro a fevereiro

Mandioca – plantio: março/colheita: junho a outubro

Milho – plantio: outubro/colheita: fevereiro a junho

Soja – plantio: outubro/colheita: fevereiro a maio

Uva – plantio: dezembro/colheita: junho a julho

Norte

Arroz – plantio: outubro/ colheita: dezembro

Coco – plantio: início da chuva/plantio: 6 meses depois

Guaraná – plantio: janeiro/colheita: novembro a dezembro

Mandioca – plantio: setembro/colheita: março a julho

Maracujá – plantio: todo ano/um ano depois

Centro oeste

Algodão – plantio: novembro/colheita: abril a junho

Amendoim – plantio: novembro/colheita: março a abril

Arroz – plantio: setembro/colheita: janeiro a abril

Mandioca – plantio: setembro/colheita: março a agosto

Milho – plantio: outubro/colheita: fevereiro a junho

Soja – plantio: outubro/colheita: janeiro a maio

Tomate – plantio: fevereiro/colheita: abril a outubro

Para obter informações mais detalhadas acesse o cronograma agrícola da Conab disponível no site da instituição.

Oligos Biotec

Viu como é importante ter um calendário agrícola? Com esta ferramenta o agricultor consegue identificar a época correta para o plantio, de acordo com as características de cada cultura.

Para aumentar a sua produtividade e reduzir ainda mais os riscos, conte com os inseticidas biológicos da Oligos! Além de causar menos impactos ao meio ambiente, nossos produtos são testados e aprovados.

Entre em contato com a nossa equipe para conhecer ou adquirir as nossas soluções.

Este artigo foi útil?
Avalie

O que você achou disso?

Clique nas estrelas

Média da classificação 0 / 5. Número de votos: 0

Nenhum voto até agora! Seja o primeiro a avaliar este post.


Posts Relacionados

Dicas

O que é agricultura de precisão e quais são suas vantagens?

A agricultura de precisão desempenha um papel importante na evolução da produção agrícola nas últimas décadas. Um dos maiores exemplos desse avanço é a modernização dos maquinários, os qu [...]

Dicas

Mosca Branca: o que é, danos e táticas para controle

Nesse texto, preparado especialmente pela equipe da Oligos, trataremos da Mosca Branca, uma praga que ganha cada vez mais importância nas nossas lavouras, causando severas perdas e necessitando de t [...]

Dicas

Pragas do algodão: como fazer o controle biológico

Você está sofrendo com pragas em sua plantação de algodão e não sabe como fazer o controle biológico? Confira nesse conteúdo como realizar essa tarefa! Quais são as pragas mais prejudiciais e [...]